terça-feira, 26 de março de 2013

Rede hoteleira de São Luís em pânico


A rede hoteleira de São Luís enfrenta hoje uma das piores crises dos últimos tempos. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Maranhão – ABIH-MA a taxa de ocupação dos hotéis da capital maranhense no mês de março deste ano(medição feita entre os dias 26 de fevereiro e 26 de março) foi de 33%, um número insignificante e que reflete o descaso total das autoridades públicas estaduais e municipais para com o turismo de nossa cidade.

 
Desde agosto de 2012 que a taxa de ocupação da rede hoteleira ludovicense vem regredindo paulatinamente. Desde então, os empresários têm alertado as autoridades para esta situação, mas nenhuma providência foi tomada até então. A situação se agravou no período carnavalesco quando grandes hotéis de São Luís apresentaram taxa abaixo dos 30%. O setor hoteleiro da capital atribui à falta de investimentos na infraestrutura da cidade, campanha negativa de poluição da orla e a falta de campanhas institucionais do Governo do Estado e da Prefeitura em outros destinos como forma de atrair turistas para a cidade.

 
Para o presidente da ABIHMA, João Antônio Barros Filho, o problema maior está na divulgação maciça de que nossa orla está imprópria para banho e também à falta de campanhas que vendam São Luís como destino turístico. “Durante quase todo o ano de 2012 foi maciçamente divulgado, inclusive na mídia nacional, que nossas praias estavam impróprias para banho. Ainda ao longo de 2012, não se viu uma campanha se quer do Governo do Estado ou da Prefeitura para desfazer esta imagem negativa e atrair novamente turistas para cá.”, afirmou João Antônio. Ele coloca ainda que não é de hoje que a ABIH e as demais entidades que compõem o trade turístico alertam tanto a prefeitura quanto o Governo do Estado para esta situação. “Não é de hoje que alertamos tanto o Governo quanto à Prefeitura para esta tendência. As medidas esperadas não foram tomadas e o reflexo é este que vemos hoje. Hotéis com capacidade de mais de 300 leitos como menos de 20 ocupados. São Luís deixou de ser um atrativo para o turista brasileiro.”, sentenciou o presidente da ABIHMA.

 
Os recentes números divulgados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero corroboram com esta situação. Segundo dados divulgados no último fim de semana pela Infraero, o movimento de passageiros no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís, apresentou um desempenho negativo de 12,28% no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano se comparado ao ano anterior, ou seja, enquanto que nos dois primeiros meses de 2012 tivemos 342.538 passageiros, neste mesmo período em 2013 tivemos 300.470, o que corresponde a uma perda de 42.068 passageiros.

Os números ficam ainda mais alarmantes quando comparamos apenas os meses de fevereiro dos dois anos. Em 2012, tomando-se o número de embarques e desembarques do aeroporto durante o período carnavalesco, tivemos 189.107 passageiros, enquanto que em 2013 apenas 127.842, o que equivale a uma redução de 16,6% no número de pessoas chegando e saindo da capital maranhense. Esses números reforçam os dados da ABIH divulgados durante o carnaval desde ano, em que grande parte da rede hoteleira de São Luís ficou desocupada, divergindo do que foi divulgado pela Secretaria de Turismo do Estado.

 
Não obstante a esta situação, o Governo do Estado retoma a campanha de divulgação negativa de que as praias estão novamente impróprias para o banho. O que já está difícil poderá se complicar ainda mais, já que, se esta tendência de queda na taxa de ocupação se mantiver, pode-se prospectar números irrisórios para o período junino, o que poderá vir a refletir em um futuro não muito distante, de uma nova quebra geral da hotelaria maranhense como aconteceu da década de 1990.

Um comentário:

  1. Apos 4 anos de Ingerência do Governo Castelo, o "trade" queria o quê?

    ResponderExcluir